quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Sister Love


Muito bom ter minha irmã aqui e só nós duas na casa, rainhas do nosso pequeno lar. 
Nos damos bem, nos divertimos, nos respeitamos nos nossos ritmos e preferências.
Só nós e mais ninguém com pitacos, com coerções, com agonias e chantagens emocionais.
Só nós e nos sentimos livres, responsáveis e em paz, aquela tensão que ronda cada esquina da casa não há.
Fazemos nossa comida, nossas compras, nossas atividades e limpezas como ninguém acredita que somos capazes.
Muito bom!
Esta semana entre o Natal e Ano Novo tem sido um lindo hiato do mundo, nós duas em nosso ninho e fazendo whatever the hell we want. WHATEVER THE HECK I WANT!
Não to a fim, não faço.
Simples assim. 
Sei que a vida volta ao normal semana que vem, mas tudo bem, isso é suficiente por agora. 

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

If...

If...(...)

I'd march right in the clinic and take my supervisor aside: I cannot do this anymore, figure it out.

Then I'd march right to the secretaries and ask for my trancamento form: I can't do this anymore, figure it out. I just can't.

Then I'd have extra money and extra mental energy to see where to go from there. I wouldn't spend so much of both hating every moment of being in class, writing the papers and going to the meetings. I wouldn't feel like I'm betraying myself. 

Then, I'd take the money from my new job and not have to pay those monthly bills that tie me up and prevent me from doing anything else I actually want. Like French. Or a trip. 
I'd rent a place, I'd tell my mom, I can't do it anymore. I need a place I can walk to and fro, a place that makes me feel alive. Anything. 
I'd sell my car and spend the money that I won't spend on car headaches with bus fares or bottles of water I can buy on my way "to and fro" to quench the thirst of walking. I'd lose weight because I'd be in shape and I'd feel good, even if my clothes get sweaty and my feet might ache a bit.

I'd tell my boyfriend I love him and that I am finally figuring out how to walk my own path, that he is not to worry and not to take it as a sign that I've lost it and need guidance. I'd tell him that taking the alleged easier path is amazing and not at all easy. Even if it were, I take pride in taking it, it has been too many years of having to take the allegedly morally superior difficult path of not listening to what I really want in the name of expectations and "rights" and "wrongs. 
 I'd tell him how liberating it feels and how maybe he could do something like it if he wanted to, I'd back him up 100%. 

Then I'd be living my own life and then I'd be a better version of me and we'd be a better version of us, I'm sure. 

New Year's Eve is coming up...

Now I need to figure out what should follow the IF.

If...

sábado, 25 de dezembro de 2010

25 de Natal


“Somedays aren’t yours at all, they come and go as if they’re someone else’s day.”

Então, chega.
Tem dias que não são nossos mesmos...e esse 25 de dezembro com certeza não foi o meu.
Acabei de derramar todo o resto do macarrão que seria o meu jantar na pia da cozinha.
Aaaargh!
Acordei 7:30 da manhã de Natal com um alarme, arrancada de pesadelos horríveis com pessoas esquisitas para ir buscar minha irmã no aeroporto, chegando dos US of A para passar essa época de festa aqui nos trópicos.
Passei dia 24 levando minha mãe no aeroporto para ela ir ao 2º o 1º lar dela agora em Pipa, RN e depois fui para a casa onde a família do meu namorado se reuniram para suas tradicionais tradições.
Foi bom, o climazinho de roça, a chuva, o temporal, a falta de luz em alguns momentos, a brincadeira dos presentes, a comiiida gostosa. Sou muito grata a eles e a maneira que me incluem com tanta aceitação e liberdade. Além do mais, ganhei um gato FOM! (Ele se chama Fom)
Mas não foi fácil
Natal sempre me faz refletir sobre minha família e sobre o significado disso tudo. Causa verdadeiros controcionismos mentais.
Minha mãe está contente de estar em Pipa, com novos amigos, isso eu sei, e estou grata de não ter que passar mais um Natal comendo qualquer coisa que tivesse na geladeira e assistindo televisão e ouvindo minha mãe dar o sermão do “a sociedade enfia tanta ladainha na nossa cabeça, Natal é como qualquer outro dia” e ganhando algum presente randômico que não tem nada a ver comigo só porque ela não tem a manha nem a paciência de escolher presentes. Já contei a história do xampú, né?

“This is what Christmas does to us, we put too much meaning in it and it ends up letting us down.”
Acabei de ouvir isso na TV na série com tema natalino que estou assistindo (porque QUALQUER coisa que passa no dia 25 tem que ser de natalino...)

Então, voltemos a história.

Acordei 7:30, acordando ansiosa já mas encarando a bruta realidade, tudo bem, vamos nessa, meu fiel companheiro de aventuras ao meu lado e meu palio...all the way to the airport about an hour away.
So, I’m grumpy.
Aí também tem o pequeno fato que fiquei menstruada no dia antes de *surpresa* (surpresa legallll) e estou com cólica e tremendamente hormonalmente sensível. E com gases. Beleeeza. Com sono, gases e cólica. Ah sim, e nem mencionei que no dia anterior quase morri enfiando uma mão numa faca gigante sem querer e me espetando. Não foi nada demais, mas como diz meu namorado, joguei xadrez com a morte! Foi uma sensação estranhamente bizarra e perturbadora sentir a faca entrando e depois tendo o furinho na mão e uma dor pulsante nos nervos. Então pelo amor de minha necessidade de dramatizar e exagerar, isso estava no campo desta manhã fatídica.
Adicione a tudo isso a ansiedade embutida no pegar um parente no aeroporto vindo dos EUA, algo nada emocional para mim.

Estou insuportável, mas conseguimos chegar até o aeroporto e consigo minimizar a vontade de chorar que fiquei o caminho todo combatendo (isso que só são 9 da manhã).
Ok. Beleza, o vôo dela está no monitor, na hora! Esperamos, esperamos, esperamos.
E nada, nada, nada.
Fome, fome, fome.
Vou comer um pão de queijo e tomar café, ta demorando demais...
Por favor, um café e um pão de queijo...
6 mil reais senhora.
Heiiin?
Ta bom, ta bom, cafeína a esta altura vale 6 mil reais.
Nada de irmã chegar. Estou nervosa, preocupada. Não tenho o número do celular dela e não sei o que fazer...não sai mais ninguém de lá dentro.
Ligo pra mãe, sem sinal.
Ligo pro pai, não está em casa.
Vamos ver Internet, vai que mandaram algum email avisando algum imprevisto?
Sim, sim, vamos!
Oi, por favor balcão de informações, onde há um cybercafé ou lanhouse?
Ah, não tem nada aberto hoje.
Ah.
Obrigada, I think.
Vamos procurar o balcão da Delta.
Não existe balcão da Delta, todos sumiram e só tem um gerentezinho sobrecarregado lidando com pessoas que perderam conexões. Pede para a gente esperar 20 minutos enquanto terminam a “operação de chegada” sem nem escutar o que falávamos.
Tenho a brilhante idéia:
Vamos ligar para alguém na manhã de Natal (acordar alguém, em outras palavras) e pedir para que acessem meu email e ver se tem algo lá que ajude a desvendar o mistério?
Eba, vamos!
Primeira pessoa, não atende.
Segunda pessoa, acordamos e está na cama ainda.
Terceira pessoa, não atende
Quarta pessoa, atende! Muito bom, obrigada Natalia.
Ela liga o computador, entra no meu email e lê o email de Laisa Bellomo: vou chegar no dia 26 porque mudaram meu vôo.
Grrrrrrrrrrr.
Vamos embora. Sem antes pagar 100000 reais por ter estacionado um carro por 3 horas.
Super.
Voltamos para a roça e as festanças natalinas. Estou num humor que Deus me ajude e Deus ajude o Ez.
Chegamos, explicamos o malentendido a todo mundo que aguardava pela chegada da irmã internacional e comemos café da manhã quase meio dia.
Vemos um filme, melhoro um pouco.
Durmo quando era pra almoçar, almoço quando é hora de dormir.
Chove e chove e chove e Ez dorme e dorme.
Leio meu livro com meu recém descoberto astigmatismo e combato ferozmente a dor de cabeça que quer chegar. Sou mais forte, vou ler esse livro!!
Decido ir embora, preciso dar comida aos pobres gatos abandonados e preciso me recompor, estou uma pilha de nervos.
Me despeço com uma clássica crise de choro e chego em casa.
Tomo banho.
Finalmente, talvez algo melhore agora, o choro tem essa capacidade.
Até que ajudou, estou aqui com minha Sony vendo séries que me fazem sentir em casa e me certifiquei que os gatos estão bem e sem ressentimentos por terem passado a noite de Natal sozinhos...
Decido que está na hora de comer,
Voltamos ao início dessa história, o macarrão derramado na pia. Nem me abalei. Quis rir, na verdade. Peguei o resto dos nuggets e pus pra esquentar. Fazer o que...
Agora vou terminar este post para ir comer os benditos nuggets que acabaram queimando porque esqueci deles enquanto escrevia tudo isso. E não tem ketchup. Super! 

Realmente...Let it go.
Desejo a todos um feliz dia 26 de dezembro!!

:)

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

La mia follia


La mia follia
Dicono che lei mi terrà per mano e mi porterà per i cammini più belli.

Per ogni vita che nasce
per ogni albero che fiorerà
cambierà

Non ho più tanta paura di me stessa.

C'è una strada per andare


Chiedo alla vita tutta la sapienza di cui ho bisogno in questi momenti che i miei piedi crescono, mi raddrizzo e pongo le mie parole a lavorare insieme a me.

domingo, 19 de dezembro de 2010

none will do

Ascoltare: http://www.youtube.com/watch?v=idcaRTg4-fM

So many words could apply right now,

yet none will do.

sábado, 18 de dezembro de 2010

The Bend in my Hair


Today I share a poem, it's been a while. Nobody better than my name buddy Angelou to give me some food for my poetry.

Also cuz I'm feeling a bit this phenomenality...


Phenomenal Woman


Pretty women wonder where my secret lies.
I'm not cute or built to suit a fashion model's size
But when I start to tell them,
They think I'm telling lies.
I say,
It's in the reach of my arms
The span of my hips,
The stride of my step,
The curl of my lips.
I'm a woman
Phenomenally.
Phenomenal woman,
That's me.


I walk into a room
Just as cool as you please,
And to a man,
The fellows stand or
Fall down on their knees.
Then they swarm around me,
A hive of honey bees.
I say,
It's the fire in my eyes,
And the flash of my teeth,
The swing in my waist,
And the joy in my feet.
I'm a woman
Phenomenally.
Phenomenal woman,
That's me.


Men themselves have wondered
What they see in me.
They try so much
But they can't touch
My inner mystery.
When I try to show them
They say they still can't see.
I say,
It's in the arch of my back,
The sun of my smile,
The ride of my breasts,
The grace of my style.
I'm a woman


Phenomenally.
Phenomenal woman,
That's me.


Now you understand
Just why my head's not bowed.
I don't shout or jump about
Or have to talk real loud.
When you see me passing
It ought to make you proud.
I say,
It's in the click of my heels,
The bend of my hair,
the palm of my hand,
The need of my care,
'Cause I'm a woman
Phenomenally.
Phenomenal woman,
That's me.
Maya Angelou

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Maya, Change, Change, Maya

Pardon for sharing the utmost boring details of my daily schedules, but it helps me a lot to write things down when my mind starts getting confused.



So. 
Lots going on.

1. Finish my demo-translation to present to my teacher next week, as a project for an entire book translation (with a publisher and everything) and/or as a project for my own little end of course "thesis", the "monography".

2. Organize my translation material, portfolio, etc, now that the course is over and all payments are paid! (YAY)

3. Finish off my student's classes, today and tomorrow, with x-mas themes and little gifts...hmm, really need to get that organized.

4. Find out if I'm ever going to get paid and how much for my last translation

5. Go on my JOB INTERVIEW for a possible new job as a in locus translator for the international department of an evangelical church...sounds bizarre but sounds wonderful too! Also, go on a test drive as a freelance translator/interpreter (still dont know which it is) for a few days at a conference with an Amercian guy coming in. 

6.Begin end of year essay for IGTB. Haven't even thought about starting..got 3 weeks.

7. X-mas shopping and organizing. Oh lord, I'm scared...shopping malls and crazed brasilienses with their shopping mania. :S We shall overcome!

8. Go take a look at new apartment place with boyfriend and actually see what it looks like and feel what it feels like!

9. Aah! Aaaah! Add to that: Lose 10kgs and you've got a little nervous wreck. 

10. Digest the fact that my sister is arriving in 10 days and my father is coming to visit after 5 years in about a month and my mom is probably moving from Brasilia in sync with my move to the new place.

Maya and big changes, big changes and Maya, a saga with still lots to come...await!

domingo, 12 de dezembro de 2010

A grama

Mais um pedaço do retalho que foi 2005...



20 de novembro de 2005
Quando encostei os pés descalços na grama, a sensação de prazer formigou nas minhas pernas e caminhei com vontade de rir...Entrei num transe estranho, fui transportada para um lugar onde só existiam meus pés e a grama molhadinha. Sentei debaixo da minha árvore predileta e voltei para mim aos pouquinhos. Pensei em Deus, pensei na minha confusão. Pensei, Deus! Eu quero me curar! Deu vontade de chorar pois o cansaço e o desespero me rodeiam dia e noite e luto com tudo para não me deixar dominar por eles. 
Mas Deus! Como é difícil!!
senti a grama e senti como somos frágeis mas ao mesmo tempo, olha eu aqui! Quase 3 meses depois que tudo começou...o que quero dizer é que continuo aqui, viva. Não sei muito bem COMO! Deus! Quero me ajudar, mas porque sinto tão poico poder? Estou fazendo certo? Queria ter um sonho revelador ou sei lá..Não sei bem como cuidar de mim porque não sei o que eu tenho. 
Mas a natureza...ela não tende à saúde? meu corpo por si não vai lutar pela saúde naturalmente? Minha mente?
Deus, me sinto muito perdida

sou/nos



so many things, so many things!
(tanta coisa, tanta coisa, né assim?)

Natal, papais noéis, presentes, amigo ocultos, famílias, negociações, o apartamento?, irmã que chega, pai que chegará, mãe que vai, disputa de guarda dos gatos (sniiiiif), e uma bela bloomin' onion no Outback (yuuum).
changes
changes
changin

Nessas horas sente-se que se está vivo, tu-tum, tu-tum, tu-tum
Ao mesmo tempo, as águas fluem, por mais que possam assustar, elas fluem. O rio tem sua sabedoria e sua direção. Tal como a barragem da roça, a água pode até parar um pouco, mas logo sua força jorra e abre caminhos.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Parenthesis


Words are flowing out like endless pain into my coffee cup
They whisper while they pass
They run away into my universe

Pools of sorrow, waves of joy
are drifting through my tired mind
Posessing and caressing me
Posessing and caressing me

Not sure I've gotta change my world...
not sure if, 
not sure how,
not sure what I want

But I'm listening.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Sim, eu sei

Sim, E., eu sei que você não ficou preocupada, mas eu tive que te ligar de volta hoje.
Sei que você mal ficou pensando sobre a sessão depois que eu fui embora, mas eu fiquei, muito, e foi por isso que liguei e pedi redenção. Disse que estava bem, que só queria dizer isso, que aquela pessoa que apareceu no final da sessão, ela não existe desse jeito não.
Você falou, como costuma falar
"E se existir? Qual o problema?"
Ok. ok. E se for assim? E se a tal que eu pensei que fosse coisa do passado for coisa de eventuais presentes? Todos têm suas dificuldades, certo.
Fiquei muda ao ouvir isso, realmente, que implicações isso teria então?
Hoje me vi por dentro e ao avesso e fiquei tonta de ansiedade. A cabeça entrou naquele estado de quase transe, quase "encorporação", quase embora e far far away.

Sim, eu tive que te ligar e restaurei algum equilíbrio ou homeostase (qual a diferença)?

Vou dormir porque em tais horas, dormir é umas das melhores bênçãos que se há.

Eu sei...eu sei.

Follow the Day

Follow the day and reach for the sun




Some motivational words from your sponsors...


I'm trying to remember how I dealt with this exact dilema about a year ago, when I almost quit my course. How did I keep going, how did I give in to flow of things and let go?
I remember vaguely.
Something about giving up on wanting to know about the day after tomorrow, on not really worrying where that could take me as long as I was doing well in the here and now zone.
Actually, it wasn't so much a choice as me realizing that I could either give in or I could give out. It was about being so incredibly tired of worrying and surrendering. 
Something about doing the best I could in the present situation with what I had and not making things be so important and life or death. 


Stepping back a bit.


Cutting myself some slack.


That sounds good.

domingo, 5 de dezembro de 2010

O blog sou eu

I never thought bangs could cause such a commotion. Internal commotion. At home commotion.




I want to break free, God knows I want to break free.


Momentos como esse quero sair correndo para só deus sabe onde e sair disso tudo. 
Proclamar: não me importa mais; não tá comigo!
Pra Italia, pro Cazaquistão, que seja, eu preciso sair daqui, o sentimento mais uma vez é de sufoco. 
O que estou fazendo comigo, com minhas escolhas, quais são as amarras, quais são as conseqüências, qual o medo de romper, qual é o pavor de permanecer? Eu genuinamente sinto que estou me esforçando para "trabalhar" esses temas dos quais quero sair correndo, mas tem horas que sinceramente questiono isso e penso, porque estou me amarrando a esse sofrimento? Qual o sentido disso se posso simplesmente abrir mão? 

Mas enfim, abrir mão nunca é tão limpo quanto parece, ao menos é o que me dizem e o que a voz dentro de mim diz quando pede cautela. Outra parte que questiona pensa, mas o QUE exatamente eu vou ganhar em me forçar a fazer algo por fazer...estou confrontando o que ou provando o que? Não estaria me traindo?
Sinto muita tristeza.

Acho que essas questões já rodaram por aqui em muitos outros posts de muitas outras maneiras, mas fazer o que, o blog sou eu. 

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

One Step Closer


I have bangs now.
I HAVE BANGS NOW.
I have not had bangs since I was what...8?

It's very foreign and for the time being it feels like there's a brick of hair on my forehead, heavy and ackward. But then I look in the mirror and it's ok.

I had to do it, the being inside of me has been demanding this for years now, yet I hadn't the courage needed for such a drastic step.
I would always shy away with excuses and fears such as "I don't have a good face-shape for that" or "naaah, too childish" or the more ominous "bangs are a bad, bad idea!"

Today I said, well, ok, it might be bad, but I've gotta try.
And I did!
I've never been so happy with a haircut before.

As the hairdresser snipped away I could not help and grin like a little girl, for I felt like that, stubborn, mischievous, daring and bold.
Welcome back!

I am one step closer to being someone I actually identify with.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

7AM


7AM in my apartment is full of shadows and incipient light reaching around the corners.
The sun is lazy, hazy,
not quite open for business.

7AM is heavy with heavy eyelids
and liquid with warm coffee.

7AM in my apartment is limbo land
No one is up but me
alien in my own house
tiptoeing around, hush, hush
feed the cats, make something that resembles breakfast

waiting a few more minutes - the sun will wake up
and it'll be time to get onto the busy streets of 7AM goers and doers.

domingo, 28 de novembro de 2010

What Dreams May Come

Em breve, mais um mês desse ano se encerrando e trazendo consigo dezembro, bendito dezembro com todas suas emoções e conclusões.
Não pretendo escrever um post de revisão do ano, ainda há tempo para isso, só comento que o final de novembro pode ser tão significativo quanto o resto. Em dezembro, é oficial. As luzes pisca pisca se acendem, a cidade se ilumina e os semestres se encerram. No ar pende o sentimento de que algo está chegando a um fechamento, goste-se dele ou não.
Penso no ano que vem e nos rumos que virão. Nos rumos que se apresentarão, nos que serão escolhidos e nos que serão impostos. Funny the way it is...

What dreams may come

Penso nos sonhos e as vezes no abismo entre o sonho e nas ações necessárias para alcançá-lo. Por que tanto medo? Medo de se conseguir o que se quer, de ser feliz? Melhor ser infeliz no conhecido do que se aventurar no desconhecido? Ou medo de se ter e depois perder? Mystery to me.

E a chuva cai e cai, mas só chove e chove

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

I Know a Spell


"I know a spell, it will make you help
write about love it can be in any tense but it must make sense
I know a trick, forget that you are sick
write about love it could be in any form hand it to me in the morning 

I know the way (so you know the way)
Get on your skinny knees and pray (maybe not today)
you've gotta see the dream through the windows and the trees of your living room
(of your living room!)"


Me and my coffee, my coffee and I.
and B&S.
And a blank page.


perfetto!


Apparently I am exhausted today, went to bed at midnight, woke up at 10:30. Actually, woke up several times between 8 and 10:30 but wasn't able to muster up the energy required to actually get up and wake up 100%. 
Apparently I am exhausted every day. 
I know that 14 hours in a day, most often than not, prove themselves to be too much. Somewhere along the way I take a break or else get utterly overwhelmed (and then take a break).
I missed writing in here this week, even though it's been 3 days only, but I still missed it. 
Caught up in my translations (lost in translation?), classes and getting through 14 or so hours. 

As the plane came down and landed over Brasilia last Monday, the same old thoughts circulated through my bloodlines: always the same plane, the same landing, on repeat, on repeat, on repeat mode. 
When I lie in bed and start to daydream, it takes me away on that same plane. However, if I am feeling rather realistic, I imagine what I could do without stepping foot in an airport. 
The scenario is always an invariable variation of the same scene, something GOES. Out the window. 
I see the dream through the windows and trees of my living room and I go after it. I go after my gut feeling, my unrational self, against all "but what if...what if...what if it all goes terribly wrong!?"
And so I go back to my 14 or so hours with occasional breaks and fantasies. 

I want the world to stop, I want the world to stop
Give me the morning, give me the afternoon, the night!

But you know what, so long as I can write and shout in here, as long as I can shout myself anywhere, I can do pretty well. As long as words are my friends, here we are.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Love-Hate

I love food,
I hate food. Hate my compulsion for it, hate the way it makes me feel better, hate the way my anxiety calls for it.
I'm feeling awful in my body, feeling uncomfortable, feeling moody as hell.
Hate fooood! Hate how I love it.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

My Method



ne me quitte pas me quitte paaaaaas

Estou engajada no meu experimento de auto-ensinamento e auto-aprendizagem de línguas.
Mantenho o espanhol e o italiano afiados com o mesmo exercício pelo qual me inicio no francês così lontano da minha realidade neurolinguística, mas gosto do desafio.
Já toquei um pouco no assunto do método mas agora defini mais, caso alguém queira se aventurar nesse experimento junto comigo.

1. Escolha um artigo de jornal na língua alvo...Entre online e procure. Escolha um artigo que te interesse por algum tema, se não fica ainda mais difícil e acredito que se tiver o afetivo envolvido, a motivação é outra e a assimilação também.

2. Leia uma vez sem grandes pretensões e tente captar a idéia geral. Depois escreva as palavras ou expressões que você não conhece e procure. Eu também incluiría a seguinte dica: pesquise o tema em qualquer língua, na sua se quiser, se você não tem tanta familiaridade com ele, pois isso coloca o artigo em contexto e ajuda muito.

3. Depois, procure algum vídeo que fale do assunto lido. Youtube, canais de TV dos devidos países, sempre há algo, especialmente se o assunto for o assunto do momento. Só escute, escute e escute, várias e repetidas vezes mas não se prenda em entender cada palavrinha, só escute e verás que a cada repetição uma ou duas palavras novas serão compreendidas, é uma experiência fantástica, como um mundo que se desvela lentamente.

4. Agora, dependendo do seu nível, procure exercícios de gramática online, o que não falta. Se você nunca estudou o assunto, procure uma explicação (em qualquer língua) antes de tentar o exercício. Se você já passou anos estudando a língua, talvez não seja necessário, pule para o exercício direto.

5. Pra finalizar, escolha uma canção na língua e escute...pegue a letra e tente cantar junto (hehe) e veja vocabulário e etc.


Enfim, there's a method to my madness, I think. Alguns princípios que me guiam:
1. Entre em contato com a língua autêntica, não com videos ou audios ou textos feitos para aprendizes.
2. Aprenda a língua em contexto, gramática, vocabulário, etc, aprenda em CONTEXTO, tal como é usado pelos nativos.
3. Não se agarre em ter que entender tudo, cada palavra. O principal é o contato com a língua e a aprendizagem por intuição e dedução. Não descarte o dicionário quando a palavra for fundamental para a compreensão do texto, mas também não fique agarrado nele.

Pronto...Método que não é puramente "meu", é uma compilação de tudo que acredito ter funcionado para mim nesses tantos anos de aprender e ensinar línguas e também um pouco de intuição a respeito.

Como disse, estou testando esse método com uma nova língua, o francês, para poder dizer se é algo que recomendaria para iniciantes. Claro, acho que entrar numa escola e ter um professor me ajudaria também, pois nisso tudo está faltando a INTERAÇÃO, mas no momento isso não é possível e mesmo se fosse, acho que é um bom complemento às aulas. E também tem o pequeno fato de que o francês é tão semelhante ao italiano e espanhol e português que não posso dizer estar começando do zero como se fosse mandarim, por exemplo.
Je vous dirai comment me va...

terça-feira, 16 de novembro de 2010

My Shelves

Fiona Apple - Please Please Please


Give us something familiar, something similar to what we know already
 that will keep us steady, steady,
steady going nowhere!
please please please... no more remedies
my method is uncertain, it's a mess but it's workin'



What should I do, how do I organize my mind with my necessities and my desires? With the crazy mood oscillations? Urgh, hate that last part. Destructive as all hell.
Migraines migraines, now I have to monitor these and keep a good ole diary of my attacks, possible triggers and etc. 
I'm confused as to my priorities at this given moment of the year.
What do I want? 
I know that.

What do I need to do, then? Perfect translation skills and languages skills. Okie dokie, so that's what the CTJ course has been doing for me in the English department. I feel the need to study more Spanish, but I wonder about the money involved. 
Which leads me to many other issues...

I want a routine, that I know. I want to have a routine and stick to it, that's the main problem. Each day something else comes up that make a routine very very secondary. A migraine, an unexpected panic attack, rain, no work, work, no work....students cancelling classes, trips, holidays, mom travelling in and out of town. Here enters the living in another country fantasy, constructing my own life fantasy. I want to construct the variables around me.  

What else do I want?
I want to define my IGTB status. I'm so tired of doubting it, of wondering, of being unsatisfied with my being there and my incredible desire of just letting it GO. It doesn't make anymore sense to me, it doesn't make any sense in my life. Do you understand the anguish this causes? It's like if I were investing in a quantic physics career when I KNOW that I'm not going to be a quantic physicist. And what am I doing then, just waiting for it to be OVER to go after what I really desire? Why am I not doing that now, then? See the issue? It really bugs me. Somewhere deep down I know that if I let it go, it'll be so important for me and will free me up to be who I feel to be most truly. 

I don't have answers to these questions, I have directions that point places and I have the desire to go. What is keeping me from going then, I ask? I know exactly what it is and I wonder here to myself, is it really worth it? (in case you are wondering, other people's opinios, my sense of failure, my own opinion, fear, fear, fear, fear and caution)
In one word, I am restless. I have the energy, I don't have the vector, like they say in Physics. That's just a recipe for entropy, I believe. Forgive my loose usage of all these very important terms, but I really don't remember the least of Physics. 

All I know at the moment is: let's go do my nails.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Palavras


Pingos de areia na ampola do tempo.
Fios de areia que escorrem entre os dedos.
A mente, líquida, escorre ao chão e acumula em palavras.
Palavras líquidas, viram vapor.

domingo, 14 de novembro de 2010

All Together Now


Se não vou até os países, os países que venham até mim.
Lendo jornais onLine, os principais do mundo. Anotando vocabulário, expressões, maneiras de dizer.
Il Corriere della Sera, La Nación, El País, Le Monde, The New York Times, etc...
Entro num mundo paralello de verbos e expressões idiomáticas. Tento me colocar nos cérebros nativos e isso já ajuda o eterno desejo de conhecer tudo que há e fazer parte.
Que venham mais traduções que me "obriguem" a fazer o que mais gosto e ainda ser renumerada!

Vamos dar um jeito, vamos dar um jeito de ficar aqui, de ir pra lá de morar aqui, de morar lá, de morarmos junto, de estar com eles de estarmos com os outros eles, de ficarmos nós dois, de equilibrar família, casal, profissional, pessoal, presente passado e futuro. Faço o que for preciso para dar esse jeito, "dar um jeito" e continuarmos felizes, juntos. 
Vamos conversar e rir e chorar ainda muitas vezes e vou dizer e repetir e repetir: TE AMO!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Como fui me perdendo da Psicologia


December 27th, 2005
Estou um tanto quanto apreensiva quanto a minha vida Unbiana, pois ela não estava tão legal antes da greve. Assim, vai ser bem melhor que a greve...mas sinto que vai ser solitário. I still haven't understood that classes start sooooon. My head is going wacko over here, struggling to stay afloat. It's forgotten what it's like to be productive.

January 1st, 2006
Impossível descrever o que está passando comigo. Algo forte, incrível, assustador, desconhecido. Estou a dias sem dormir direito, meus olhos vidrados. As aulas começam depois de amanhã e estou apavorada - nem sei se é pavor - FAZ MUITO TEMPO!!! Muito esquisito ficar afastada por tanto tempo e depois continuar assim, como se nada tivesse acontecido. Como se essa greve não tivesse sido uma das coisas mais traumáticas da minha vida...Fico pensando, imaginando como será agora, pois não sou mais a mesma. Mais uma vez, a UnB vai ter um feeling diferente. Sinto que estou passando por uma espécie de estresse pós-traumático, distante do mundo, não sei como vai ser.

January 4th, 2006
Something very weird happened this afternoon/evening. I came back from UnB and...I remember that around 8 I was feeling like I was waking up, like I had been very far away and returned...I lookd back at my day and couldn't recognize myself...It still makes me feel a bit sick in the stomach...What happened to my life today, it was so ackwardly painful. I went into a parallel universe? I guess I've never felt so uncomfortable in a place I used to feel comfortable at...How could I tell anyone? I remember holding back tears in TEP and then at Estatística I snapped into this WEIRD WEIRD alter Maya - one I've NEVER FELT BEFORE. How can I explain? I got caught up in the UnB..I imagine everyone else's experiences..the arrogant, competitive, nasty one and I was really doubting my choice. Deep down I KNEW that I could never be a real psychologist, I could never be one of them and taht made me so nervous, for I lost my focus, my SELF. For the first time I felt WEAK and BROKEN and I felt like such a fake and my soul hurt...
I don't know how it happened. Maybe it was my only defense since I can't talk to anyone and I couldn't cry in class. My conscience went beserk.
But the feeling of having been gone and now coming back is AMAZING. Horrible, but intriguing....

(vou para a Itália pela primeira vez em abril e volto)

May 6th, 2006
Com'è possibile sentire cose così forti in così poco tempo?
Come non lo capisco, mi lascio piangere, sapendo che tutto sta bene. Lasciatemi sentire questa cosa misteriosa, profondamente mia.
So che posso ritornare mas non so come cominciare, perchè non so cosa voglio. È strano, prima dell'Italia, io non volevo mai andarmene via di BSB. era perfetto. Dopo quest'ultimo anno mia piccola cittá non è più tan amichevole. Ho soffrito molta cosa qui, voglio una niova vita, sai?
Ho u po di paura quando osservo che sarebbe così faicle lasciare tutti qui, mia famiglia, amici...Non ho un sentito la mancanza di nessuno mentre ero là.
...
Chorei de novo, dolorosamente. Tive algo tão meu, me senti tão dona de mim e da minha vida. Me senti tão saudável, tão feliz. Mancanza brutta delle persone, di Lucho e i suoi scherzi, angie e le sue parolacce, le ragazze del mio apartamento parlando alto e constantemente. A palavra nem é saudades - é FALTA mesmo.

July 10th, 2006 - Italia tetracampione!
Reta final, reta final do 6o semestre. E sérias questões surgem, do tipo..eu não aguento MAIS a UnB. Hoje eu fiquei imaginando de verdade como seria ir lá por um tempo e eu fiquei sorrindo sozinha. Meu coração quer MUITO. Mas aí entra o cérebro com mil razões para ficar aqui. Mais prático, mais econômico, mais "certo"...mais seguro.
Estou entediada nas aulas, irritada à toa, sem interesse. Isso é jeito de continuar? O que que eu faço?

July 12th, 2006
I guess I'm SCARED. Suddenly I got lost from the herd in the middle of an existencial blizzard. I can't remember why I wanted to be a psychologist, I can't feel my initial excitement. I don't want to, but the word "psychology" is making me sick.

July 17th, 2006
Se for para meu pai aceitar minha nova "idéia", preciso ter um plano, itinerário, orçamento. Tô achando mais fácil ir nas férias mesmo. Chorei tanto depois do telefonema. Ele nem pareceu supportive e até pareceu decepcionado. Tive falar explicitamente outra vez que não quero voltar para os EUA. Isso doeu. Também doeu perceber que ele está tão por fora da minha vida atual e que não foi culpa de ninguém.

August 29th, 2006
Meu Deus, ajude-me a acalmar. Eu quase tomei uma decisão e agora estou tonta da cabeça aos pés. Tontinha, tontinha...em pânico! Mas algumas horas atrás nada me sentiu mais certo! Andando pela UnB ontem e hoje, me bateu um tédio desesperador. Ao pegar as xeroxs, aquela "luz" se fez tão forte...e agora estou entrando em pânico e eu sei exatamente porque. Porque tudo está completamente indefinido. Decidi trancar, fui trancar e mudei de idéia no último segundo.



etc
etc
etc

terça-feira, 9 de novembro de 2010

15 year old's Autobiography



Ten years ago, an English teacher gave us the following assigment: to write our own autobiographies in about a page. 
Well, that was boring enough for me and I ended up writing something he would give me a B for but that I have carried with me since then.

I was 15. 

Here goes:

Maya

I used to have this friend, and it's very strange how I can count the time and number the years on my fingers of when I last saw her. I could've never imagined back then that I'd be here, four years older and four years on my own. A lot has happened and I've been to new places and have also left those new places. I've ended back where it all started and to my surprise, life has continued. Changes have occured and there's little that has been constant. All I know is that it's the times between those changes that count, the time we spend inside the new experiences, for that time is most valuable.

Sometimes you're with the people you love, sometimes you're left empty. Not exactly empty, for there's always something that lives on in memory. And of course, there's always the new people. She told me that before she left, I would meet so many new people that I would live on. As always, she was right. New people have com, and enough time has gone by for them to leave...that's how it works.

She used to say a lot of things. She said once that I think too much. I thought a lot about what she said and realized I do think too much. I don't think it's a really bad thing, for it's who i am and thoughts are what we are made up of. The thing was that she knew me, and she was able to see what destroyed and blessed me better than anyone else. I miss the light she was able to shine and how it made me that much warmer. 

She also said that in order to move forward we have to let go of the past. That's why she let go of me. It hurt a lot, but I was able to understand her. I know she would've liked to know, but I wasn't able to tell her. She didn't mean any harm out of it and reassured me that it was for the best. Actually, she didn't really say that, but I know she would've, if she wasn't so afraid to hurt me. People that love you don't ever want to hurt you. They do, but it's never intentional. That's one thing I learned from her without her telling me. If you love someone, you've got to learn to get over their faults and learn to take the wound as a sign of love. It's pretty confusing but I learned it well enough. 

Friends stay in your heart in such a way that it's intoxicating. Sometimes it's a light sweeping of presence in our minds, but not so light to pass by unnoticed. The effect that memory has been changing ove ritme, for now it's easier to smile and laugh at some things we went through, or to think on the absence without breaking down. I have no idea where she is right now, or how life's been treating her. That's what hurts the most, not knowing. I miss her but I'd rather go through this now than to try to imagine what my life would've been like if fate had taken a very different turn four distant years ago. 

sábado, 6 de novembro de 2010

Cigarettes and Chocolate Milk



Cigarettes and chocolate milk
these are just a couple of my cravings
Everything it seems i like's a little bit stronger
a little bit thicker
a little bit harmful for me
If I should buy jellybeans
have to eat them all in just one sitting
Everything it seems I like's a little bit sweeter
a little bit fatter
a little bit harmful for me
And then there's those other things
which for several reasons we won't mention
Everything about them is a little bit stranger
a little bit harder
a little bit deadly
It isn't very smart
tends to make one part so broken-hearted... (Rufus Wainwright)


Hooked on this song at the moment. It's on repeat on youtube whilst I translate my incredible 26 page project, todo en español, thank you very much. 


also this one:
http://www.youtube.com/watch?v=riJJbPdCxBY&a=GxdCwVVULXcUhTH88pJq61IlnCb42w1r&list=ML&playnext=9


Oh what a world!


a little bit...
a little...
alittle


The lyrics kept pounding into my brain the whole day long and it really got to me. Me and my clonazepans, me and my chocolate cravings, me and my self denials and eternal pushing of boundaries. But such is life sometimes, human limitations and human humanity.


a little bit sweeter
a little bit harmful
a little bit harder
a little bit faster


Therapy's been going really well and my faith in the process has been restored. I got lucky, I guess, that I'm finally with the right person at the right time. I left the session today with a warm feeling in my heart that some actual work might get done this time and that I am ready for this new phase in my whole process.


Many questions and meanderings! Which is excellent, by the way...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Petit Readers


So...a thousand petit reader visitors, who are you? I imagine that about half of 1000 is me myself and I when I don't login, of course...another half of that my bf's...boy and best friend...then what? I wonder about the people I've never seen in my life and who somehow make it onto this page. Do any return after the first accidental encounter? Where do you live, where do you come from? Are you reading the English, the Portuguese, does anything make sense? 
Will I ever know who I write for, if anyone (except the obvious me!)? Show yourselves! (please!)

:P
So, that's the thought of the day. Moving on...

Passando muito mal ainda mas o final de semana + feriado bonus valeu a pena. Não pareceu Brasilia e aí está...citação do dia: "não é onde se está, é o que se faz". Posso dizer, tudo bem, até que se aplica muitas das vezes. 
Deus abençoe essa semana, I need it. Talvez role meu primeiro trabalho de traduçaõ, fingers crossed! 
Pelo menos já começou com uma ajudinha, segunda feira já é quarta!

Over and out.

sábado, 30 de outubro de 2010

Marmellata

Listen to:



You didn't lie to me, but I lived the lie.
You were honest, but I was cheated.

We got stuck in the paradox of complete honesty that didn't make any sense and left me to think: where is the missing piece? In me? In you?

I tried to make some things real and tangible and that turned into complete merde, excuse my French.
To exit the paradox I had to leave our symbiotic you-me and check it with the world, the world you told me would never understand, the world that would be unforgiving, the world that did not understand pure love.

The world, it turns out, was very unforgiving and scoffed at the whole idea we so carefully constructed and rationalized.

You felt betrayed, but I was trying to unbetray myself.
You felt abandoned, but I was trying to regain my sanity.
I hurt you trying to undo the hurt you had caused me.
There are no victims, there are no perpatrators. I'm sorry for the both of us.

Nowadays you leave my memories alone more and more, yet there are a few moments when it all comes back full force. And I have to deal, just like you do.
Non si dimentica.


Ogni volta in cui ti penso mangio chili di marmellata, quella che mi nascondevi tu...l'ho trovata


All I want nowadays is for anything to make sense.
"Let's build a house together, let's run away, let's start afresh, let's conquer the world, let's stay here and be reasonable. " Please, please, please play along with me.

Like Alice said "So long as I get somewhere..."

I'm ok. I know it doesn't sound ok, but I am.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Vou achar um caminho.


"Would you tell me, please, which way I ought to go from here?" 

"That depends a good deal on where you want to get to," said the Cat. 

"I don't much care where—" said Alice. 

"Then it doesn't matter which way you go," said the Cat. 

"As long as I get somewhere," Alice added as an explanation. 
"Oh, you're sure to do that," said the Cat, "if you only walk long enough."  
 - Through the Looking Glass, Lewis Carroll






Dentro de mim chegou o momento de me movimentar e fazer algumas coisas acontecerem. 
Estive em um período de hibernação e de observação, ainda estou.
Nonostante, sento che qualcosa si muove e le cose che prima erano soltano sogni adesso possono essere possibile. 
Ecco le parole ed idee che fluttuano quà e là.

Ambasciata Italiana - Borse di Studi
Embaixadas que falam inglês - sites - Job Opportunities
Curso Tradução Simultânea ou Intérprete
Finire il corso Thomas in 2 mesi
Itamaraty - nível médio assistente...
étudier le français!
Go back to an English School to earn the extra buck or two
EAB T.A. job
Continuar projeto de tradução GT - Monografia?!


etc.




Estou aqui, observando, sonhando, acordando e acreditando que possivelmente possa ser possível e que não seja tudo parte de um incrível e complexo pesadelo. 

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Cup of Joe - Wednesday Edition



Monday and Wednesday morning routine is coming to a nice rythym, even though it's completely out of the rest of the week's rythym. Reminds me of better times. Reminds me so much of Europe, for some reason. The getting up early and feeling excited about it, feeling the rythym of the city in its early morning waking up.


Everything I desire is to live this feeling throughout every instance of the day


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Cup of Joe

Love my cup of joe to get me going, with all its warmth and incentive
It takes my panic and give me some minutes to breathe, breath of promise, it'll be alright.
Little me is running around the place like crazy, 8 year old with her bangs all crooked. She's confused and scared, as any 8 year old would be if faced with the adult world on her own.
People are telling her, you can do it, you're capable, you're fly! And she'll smile and say, well, yes, I know I am fly! So maybe they're right...
But all I see are adults in their scary little adult world.

domingo, 24 de outubro de 2010

A Bela Arte - One Art

Eis minha "tradução"/versão/inspiração baseada no poema do ultimo post...


A Bela Arte
Conquiste a bela arte de perder
Há tanto por se perder, querendo
 Desaparecer; desastre não pode ser

Perca todo dia. Deixe ir, deixe ser.
Deixe as chaves e horas que vão.
Conquiste a bela arte de perder

Vá além,  aceite se desfazer
De lugares, nomes e viagens
Com que sonhavas. Não eram pra ser

Veja só! O relógio de minha mãe
Foi-se;  o adorado lar também.
Conquiste a bela arte de perder.

Duas cidades, tive que aquiescer.
Reinos, rios e um continente.
Amor e vazio; assim é viver

-- E mesmo você (a voz e gestos amados),
não hei de mentir. Não foi um desastre
 (de fato!), mesmo se assim parecer
 Aprendi, sofri, a arte de perder